Efeitos colaterais dos antibióticos macrolídeos

Os antibióticos macrólidos são uma classe popular de antibióticos

Os antibióticos macrólidos são uma classe popular de antibióticos eficazes no tratamento de uma ampla gama de infecções bacterianas. Estes antibióticos atuam interferindo na capacidade das bactérias de produzir proteínas, impedindo assim o seu crescimento e multiplicação.

Os antibióticos macrólidos são usados ​​para tratar uma variedade de infecções bacterianas, incluindo infecções do trato respiratório, infecções de pele e infecções sexualmente transmissíveis.

Como todos os antibióticos, os macrolídeos podem causar efeitos colaterais em algumas pessoas. Neste artigo, veremos os efeitos colaterais comuns dos antibióticos macrólidos, suas causas e como podem ser controlados.

Efeitos colaterais comuns de antibióticos macrolídeos

Os efeitos colaterais mais comuns dos antibióticos macrólidos incluem:

  1. Sintomas gastrointestinais

Sintomas gastrointestinais como náuseas, vômitos, diarréia e dor abdominal são os efeitos colaterais mais comuns dos antibióticos macrólidos. Esses sintomas geralmente são leves e desaparecem por conta própria após alguns dias de uso do medicamento. Para minimizar esses sintomas, os macrolídeos geralmente são ingeridos com alimentos.

2.Alterações nos hábitos intestinais

Os macrolídeos também podem causar alterações nos hábitos intestinais, incluindo prisão de ventre, distensão abdominal e gases. Esses sintomas geralmente são leves e desaparecem por conta própria após alguns dias de uso do medicamento.

  1. Reações alérgicas

Os macrolídeos podem causar reações alérgicas em algumas pessoas. Os sinais de uma reação alérgica incluem coceira, urticária, erupção cutânea, inchaço da face, lábios, língua ou garganta, dificuldade em respirar e pressão arterial baixa. Uma reação alérgica a um macrolídeo deve ser tratada como uma emergência médica.

  1. Danos ao fígado

Em casos raros, os macrolídeos podem causar danos ao fígado. Os sinais de lesão hepática incluem amarelecimento da pele e da parte branca dos olhos, urina escura, fezes claras e dor abdominal. Se sentir algum destes sintomas, contacte o seu médico imediatamente.

  1. Problemas cardíacos

Os macrolídeos podem causar problemas cardíacos, principalmente em pessoas com problemas cardíacos existentes. Esses problemas incluem ritmo cardíaco anormal, uma condição chamada prolongamento do intervalo QT e aumento do risco de morte cardíaca súbita. Se sentir dor no peito, batimentos cardíacos rápidos ou irregulares ou desmaios enquanto estiver tomando um macrolídeo, procure atendimento médico imediatamente.

  1. Perda auditiva

Os macrolídeos podem causar perda auditiva, principalmente em pessoas com problemas auditivos existentes ou que tomam outros medicamentos que podem danificar os ouvidos. Os sinais de perda auditiva incluem zumbido nos ouvidos, dificuldade em ouvir e sensação de plenitude nos ouvidos. Se sentir algum destes sintomas enquanto estiver a tomar um macrolídeo, contacte o seu médico imediatamente.

  1. Reações cutâneas

Os macrolídeos podem causar reações cutâneas, incluindo erupções cutâneas e urticária. Estas reações são geralmente leves e desaparecem por conta própria. No entanto, em casos raros, os macrolídeos podem causar uma reação cutânea grave chamada síndrome de Stevens-Johnson, que pode ser fatal.

  1. Interações com outros medicamentos

Os macrolídeos podem interagir com outros medicamentos, incluindo anticoagulantes, anticonvulsivantes e certos antidepressivos. Essas interações podem causar efeitos colaterais graves e devem ser evitadas. Antes de tomar um macrolídeo, informe o seu médico sobre todos os medicamentos que você está tomando, incluindo medicamentos de venda livre, suplementos e remédios fitoterápicos.

O que causa os efeitos colaterais dos antibióticos macrolídeos?

  1. Os efeitos colaterais dos antibióticos macrólidos são causados ​​pela ação do medicamento no organismo. Os macrolídeos atuam interferindo na capacidade das bactérias de produzir proteínas, impedindo assim o seu crescimento e multiplicação. Embora seletivos para células bacterianas, os macrolídeos também podem interagir com células humanas, causando efeitos colaterais.
  2. Acredita-se que os sintomas gastrointestinais associados aos antibióticos macrólidos sejam causados ​​pela interação do medicamento com o revestimento do trato gastrointestinal. Os macrolídeos podem irritar o revestimento do estômago e dos intestinos, causando sintomas como náuseas, vômitos e dor abdominal.
  3. Acredita-se que as reações alérgicas associadas aos antibióticos macrólidos sejam causadas por uma resposta imunológica ao medicamento. Quando o sistema imunológico detecta a presença de uma substância estranha no corpo, ele monta um ataque para removê-la. Em algumas pessoas, este ataque pode causar uma reação alérgica.
  4. Acredita-se que o dano hepático associado aos antibióticos macrólidos seja causado pelo acúmulo do medicamento no fígado. Os macrolídeos são metabolizados no fígado e podem acumular-se em níveis tóxicos, causando danos ao fígado.
  5. Acredita-se que os problemas cardíacos associados aos antibióticos macrólidos sejam causados ​​pelo efeito do medicamento na atividade elétrica do coração. Os macrolídeos podem prolongar o intervalo QT do coração, o que pode levar a anomalias do ritmo cardíaco e a um risco aumentado de morte cardíaca súbita.
  6. Acredita-se que a perda auditiva associada aos antibióticos macrólidos seja causada pelo efeito do medicamento na cóclea, uma parte do ouvido interno responsável pela audição. Os macrolídeos podem danificar as células da cóclea, causando perda auditiva.
  7. Acredita-se que as reações cutâneas associadas aos antibióticos macrólidos sejam causadas por uma reação imunológica ao medicamento. Em algumas pessoas, o sistema imunológico pode atacar a pele, levando ao desenvolvimento de erupções cutâneas ou urticária.
  8. Acredita-se que as interações entre antibióticos macrólidos e outros medicamentos sejam causadas pelo efeito dos medicamentos no metabolismo de outros medicamentos. Os macrolídeos podem interferir no metabolismo de outros medicamentos, levando a níveis mais elevados do medicamento no organismo e a um risco aumentado de efeitos colaterais.

Como gerenciar os efeitos colaterais dos antibióticos macrolídeos

  • A maioria dos efeitos colaterais associados aos antibióticos macrólidos são leves e desaparecem por conta própria após alguns dias de uso do medicamento. No entanto, em alguns casos, os efeitos colaterais podem ser graves e requerem atenção médica.
  • Para minimizar os sintomas gastrointestinais associados aos antibióticos macrólidos, o medicamento deve ser tomado com alimentos. Isto pode ajudar a proteger o revestimento do estômago e dos intestinos, reduzindo o risco de irritação.
  • Para reduzir o risco de reações alérgicas, as pessoas alérgicas aos antibióticos macrólidos devem evitar tomar o medicamento. Se você tiver uma reação alérgica ao tomar um macrolídeo, procure atendimento médico imediatamente.
  • Para reduzir o risco de danos ao fígado, as pessoas que tomam antibióticos macrólidos devem evitar tomar outros medicamentos que possam causar danos ao fígado. Eles também devem evitar álcool enquanto tomam a medicação.
  • Para reduzir o risco de problemas cardíacos, as pessoas com problemas cardíacos existentes devem evitar tomar antibióticos macrólidos. Se sentir dor no peito, batimentos cardíacos rápidos ou irregulares ou desmaios enquanto estiver tomando um macrolídeo, procure atendimento médico imediatamente.
  • Para reduzir o risco de perda auditiva, as pessoas com problemas auditivos existentes devem evitar tomar antibióticos macrólidos. Se sentir zumbido nos ouvidos, dificuldade em ouvir ou sensação de plenitude nos ouvidos enquanto toma um macrolídeo, entre em contato com seu médico imediatamente.
  • Para reduzir o risco de reações cutâneas, as pessoas alérgicas aos macrolídeos devem evitar tomar o medicamento. Se você desenvolver erupção na pele ou urticária enquanto estiver tomando um macrolídeo, entre em contato com seu médico imediatamente.
  • Para reduzir o risco de interações com outros medicamentos, as pessoas que tomam antibióticos macrólidos devem informar o seu médico sobre todos os medicamentos que estão tomando, incluindo medicamentos de venda livre, suplementos e remédios fitoterápicos.

Os efeitos colaterais mais comuns dos antibióticos macrólidos

Os antibióticos macrólidos são uma classe popular de antibióticos eficazes no tratamento de uma ampla gama de infecções bacterianas. No entanto, como todos os antibióticos, os macrolídeos podem causar efeitos colaterais em algumas pessoas.

Os efeitos colaterais mais comuns dos antibióticos macrólidos incluem sintomas gastrointestinais, alterações nos hábitos intestinais, reações alérgicas, danos ao fígado, problemas cardíacos, perda auditiva, reações cutâneas e interações com outros medicamentos.

Para minimizar os efeitos colaterais, as pessoas que tomam antibióticos macrólidos devem seguir as instruções fornecidas pelo seu médico e relatar quaisquer sintomas ao seu médico.

Leave a Comment